Imediatismo

26abr11

i.me.dia.tis.mo

sm (imediato+ismo) Maneira de proceder dispensando intervenções, rodeios e ambages.

Tomei banho, peguei minha pasta, coloquei o fone e fui em direção ao metrô.

Faço isso todos os dias (quando vou pra faculdade) e nunca tinha reparado em como eu faço, como as coisas que acontecem e etc.

É impressionante como saímos de casa, como trabalhamos, comemos, navegamos na internet ou falamos no celular, ou fazemos TUDO isso junto, na maior correria.

Caminhei até o metrô e analisei o modo como estava fazendo. É como se eu tivesse disputando uma corrida comigo mesmo ou com cada um que estivesse na calçada.

Simplesmente fui caminhando sem reparar em nada visando o meu objetivo: chegar rápido no metrô.

Engraçado que as pessoas ao meu redor também.

Na hora de atravessar a rua, mesma coisa, quem vai pro metrô, ás vezes nem espera abrir o farol de pedestres, basta os carros não virem, o povo atravessa. No embarque, mesma história, correria total pra pegar lugar ou para entrar no trem. Chegando próximo ao destino, as pessoas colam ou ficam próximas da porta para que não se atrapalhem e percam a saída, já que as portas também fecham rápido.

No ônibus a mesma história, na moto, no carro, sempre, sempre correndo pra chegar logo no destino.

E meio que estamos nos condicionando a esse estilo de vida.

Prazos, cobranças, violência, atraso, excesso de informação, tudo isso, algo comum na vida de todos nós, nos fez ser o que somos hoje.

E isso é uma bola de neve. Começamos uma faculdade querendo terminar; Começamos um curso querendo terminar; Lemos um livro querendo terminar; Vamos pro trabalho pensando no fim de semana; Almoçamos/jantamos digitando, vendo TV e pensando no trabalho ou nos problemas na vida.

Resultado: Estamos cada vez mais vazios, frios, superficiais. Os diálogos entre amigos, família são cada vez mais raros. Inimigos, competições são cada vez mais freqüentes. “Coisas”, bens materiais são cada vez mais desejados e importantes. Ensino, cursos são cada vez menos aproveitados.

E as pessoas? O diálogo? A qualidade? A amizade? A família? O bom estudo?

Infelizmente, como sabiamente Ray Bradbury já previa no livro “Fahrenheit 451” em 1953, estamos fadados a essa realidade por nossas próprias falhas.

Mas assim como ele, acho que podemos intervir. A evolução é uma reação em cadeia, não podemos e nem devemos evitá-la, mas podemos fazer diferente do que estamos fazendo. Podemos, ainda que dentro de nossas casas, impor limites, refletir sobre o como temos vivido, encarado o mundo e etc.

Obs.: Existe uma adaptação do livro “Fahrenheit 451” dirigida por François Truffaut no ano de 1966. Assisti e recomendo.

Anúncios


2 Responses to “Imediatismo”

  1. 1 Thabata

    Isso é tão verdade que chega a doer.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: